Pesquisar este blog

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

À beira do paraiso


Àquela hora da tarde eu quieto espera, o que eu não esperava era reconhecer o amor. Sob sorrisos tímidos e conversas rotineiras, de conteúdo incomum, confortei-me com o seu olhar e fui intimidado pela sua iniciativa. Vacilei várias vezes e perto de você não consegui me explicar, talvez isso seja fruto da sensação de tempestade que vivemos quando algo de muito bom nos acontece, nos deixa paralisado, nos deixa bambo.
Amanheceu e o que passou não foi sonho. Caminhamos por uma rua comprida e passamos por uma passagem secreta, descemos o morro devagar sentindo o vento gelado das tardes de inverno. Parecendo um bobo, eu imaginei as árvores altas dando graças, porque chacoalhavam de felicidade por ver que o menino estava beirando o paraíso.
Recordo da tarde de ontem com alegria, da respiração entre centímetros que compartimos e da sensação de leveza que fiquei ao seu lado. Confesso que a apreensão em instantes tomou conta de mim e a partir dai à ansiedade decidiu comportar-se. A minha alma foi alimentada pelos seletos sentimentos e a paixão me toma por completo e o desejo de ver você é constante, como a respiração que é vital, como as piscadelas que são involuntárias.
Seus olhos, oceanos pacíficos, me cativaram, seu sorriso me devolveu o brilho esperançoso de horas prazerosas. Pesquisei sobre você e percebi que tivemos os mesmos professores, li a maioria dos seus livros, assistimos as mesmas séries, mas onde você estava enquanto passávamos por processos semelhantes? Agora as palavras já são detalhes inviáveis, que só podem ser substituídas quando eu beijo você devagar, onde eu estava? Eu pensei que estava preparado, tinha tudo esquematizado, e você bagunçou tudo. E eu adorei. Talvez se procurasse bem, você estaria nos livros que lemos, nas séries que vimos, nas noites que dormimos separados.
Quero que desperte com os meus versos emprestados, todos envoltos pelo sentimento que você me deu de presente, por isso eu compartilho com você. São eles que me inspiram hoje, nessa manhã fria de quarta-feira e timidamente peço: busque os seus beijos nos meus lábios hoje, eu preciso do seu silêncio me tocando. Não me importa que tudo seja precoce, por que: ¹ "Comovo-me em excesso, por natureza e por ofício. Acho medonho alguém viver sem paixões". E aconteceu comigo: ² "Os outros eu conheci por ocioso acaso. A ti vim encontrar porque era preciso". E não seria diferente: ³ “Mergulho no cheiro que não defino, você me embala dentro dos seus braços e você me beija e você me aperta e você me aquieta repetindo que está tudo bem, tudo, tudo bem". No silêncio da noite, entre cobertas e sobre uma cama confortável eu beijaria você ouvindo:
“Quando a luz dos olhos meus e a luz dos olhos teus resolvem se encontrar... Ai, que bom que isso é meu Deus, que frio que me dá o encontro desse olhar, mas se a luz dos olhos teus, resiste aos olhos meus só pra me provocar.
Meu amor juro por Deus, me sinto incendiar”. E por fim, eu finalizo com o Caio F. Abreu, que representa perfeitamente como me sinto. “Como se tivesse retomado a um anterior estado de pureza depois de muitas marcas”.
_______________________________________
¹ Graciliano Ramos.
² Guimarães Rosa
³ Caio F. Abreu
Pela Luz dos Olhos Teus - Tom Jobim e Miucha.

16 comentários:

  1. Suas palavras estão florindo aqui por dentro, sinto até cheiro de Jasmim. Lindo texto!!! Tem Alma.

    ResponderExcluir
  2. Adoro "pela luz dos olhos teus"...e tenho tantos pensamentos contraditórios lendo este texto que me calo!

    beijo, sempre!

    ResponderExcluir
  3. Eu não vi a revista, apenas a capa. Mas a repercussão foi muito grande. Confesso, não tenho a curiosidade de folhear, isso deixo pra ti, em plena ebolição hormonal. rs...
    Temos uma ligação telepática? Pode ser... acho que postamos novamente, no mesmo horário.
    é, talvez seja mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Achei engraçado você dizer que pesquisou os gostos e descobriu características comuns. Pensei que só eu fazia isso!
    Essa sensação que você descreveu é única!

    Outra coisa: "Pela luz dos olhos teus" será uma das músicas do meu casamento! (Supondo que casarei um dia :P ).

    Grande beijO*
    http://umpontoforadacurva.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Passando pelas asas de Angelo, estive quase à beira do paraíso, mas retorno depois, com calma...para me envolver como merecido com suas letras! Claro, sigo-o, para n/perder o caminho daqui! Abçs!

    ResponderExcluir
  6. Irmão cada novo texto seu é sempre uma nova emoção, é lindo de se ler e de se sentir....
    Bjo te amo.

    ResponderExcluir
  7. Lindo, a cada visita me surpreende. Sinto suas palavras, elas perfuraram minha pela e se entranharam em minha'lma... Parabéns.

    ResponderExcluir
  8. Obg pela visita...volte sempre e muito!

    ResponderExcluir
  9. Me lembrou essa musica de Nando Reis :D
    " Por onde andei?
    Enquanto você me procurava.. "

    Lindo, lindo mesmo.
    Adorei o texto e o blog!
    Parabéns !

    tô te seguindo tá? Beijo querido :*

    ResponderExcluir
  10. Impossível não te seguir...
    Impossíiivel não ler vc...
    Um beijo em suas pálpebras de anjoo

    ResponderExcluir
  11. Uau! Mulheres, vocês me enchem de alegria, adorei os comentários. É sempre uma emoção! :)

    ResponderExcluir
  12. Que bom que gostou do blog, fico feliz =)
    e o seu trouxe uma paz quando eu li...como alguém já disse "impossível não te seguir".
    Adorei seus livros favoritos e as músicas italianas.

    ResponderExcluir
  13. Como a Débora disse: me lembra aquela música do Nando Reis! =)

    Mais uma vez tá de parabéns!

    ResponderExcluir
  14. Adorei conhecer o teu blog ,ja estou a seguir.

    Beijinho de amizade

    ResponderExcluir