Pesquisar este blog

terça-feira, 13 de julho de 2010

O trem


Por aqui o sol compete com a chuva e eles não entram em um consenso. Acredito na vitória dela, porque já andam pelas ruas pessoas com guarda-chuva, e as desprevenidas correndo. O asfalto já é bem mais negro e as praças se tornam mais verdes, o tempo menos seco. Por ventura, caminho mais calado, mais rápido, encolhido, sob os pingos frios dessa batalha incomum. O vento que invisível me ultrapassa é tão ligeiro que desarruma o meu cabelo ondulado, esfria o meu corpo quente e comparte comigo essa caminhada matutina.
Tenho tido dias normais, nada de novo tem me acontecido. Estou de férias da faculdade e a um passo do final do curso, tenho pensando frequentemente na minha mãe e na Hosaninha, às vezes eu penso que não dedico tanto tempo aos amores da minha vida, eu desconheço se elas sabem o quanto são importantes na minha vida.
A rotina nos prende com um laço invisível, a preguiça cotidiana nos preenche a ponto de não sairmos do rumo, mas eu tenho vontade de fazer coisas incomuns, como ver os meus sobrinhos em uma quarta-feira, ou ouvir músicas antigas deitado na cama.
Eu queria tocar violino, aprender piano, saber cantar afinadamente. Gostaria de saber inglês fluente, de conhecer a Irlanda, e conversar uma hora, mais ou menos, com a turma do “prézinho”, eu tenho curiosidade pra saber que rumos tomaram aquelas crianças, hoje adultos, éramos todos da mesma idade, acredito que nascemos à maioria no mesmo ano, e na minha classe tinha um outro Angelo, mas era o Marcos aniversariante em três de setembro. Lembro da minha infância como algo não tão distante, eu me lembro que quando eu andava de bicicleta eu cantava muito alto e o vento passava pela minha garganta como se fosse à vontade alheia diminuindo o som, secando a pobrezinha, deixando o menino afônico.
O som da chuva sobre o telhado é tão nostálgico, os pingos dela sobre o chão são tão sonoros e eu já não compartilho a idéia de um mundo utópico na qual eu busco definições permanentes, sei exatamente como são as coisas cotidianas, como são os problemas humanos e as minhas ânsias preparadas, porém ainda me alimento com sonhos do por vir, e descrevo essas inconstantes como boas, por que sensações, emoções, apenas vivemos por que somos imperfeitos, humanos e a cada dia que eu acordo eu sou feliz por que eu consigo perceber que a minha vida é tão compatível a mim, como sou a ela. E falando nisso, que horas passa o trem da felicidade? Hoje eu preciso embarcar.

7 comentários:

  1. Amor, olha que engraçado! Postamos praticamente ao mesmo tempo, sobre o mesmo assunto. Os sentimentos lindos e contraditórios que às vezes temos. Mas que Graças à uma força poderosissíma Maior que tudo, sentimos.
    Viva o hoje, o ontem e espere o amanhã sempre amparado pelas asas do anjo...pelas asas de angelo!
    Besos cariño...te gusto muchisimo.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o Blog! Parabens, você escreve maravilhosamente bem!!!

    ResponderExcluir
  3. Seu texto é maravilhoso, gosto desse negócio nostálgico. Eu infelizmente(ou felizmente) gosto muito de me transportar para o passado, ainda mais se for nas gotas da chuva,que enquanto me leva também prepara minha alma para um outro passeio...
    Tô seguindo. Se quiser visita o meu:

    http://devaneiosemergentes.blogspot.com/

    Ah, e quando vc descubrir o horário desse trem me informa, tenho que ir e carregar um certo anjo comigo. Obrigada.

    ResponderExcluir
  4. John Kleber Fonseca14 de julho de 2010 21:38

    Ual Angelo! Cada dia que passa fico súper encantado com as mensagens que você escreve!

    Sinto que você gosta de expressar sua alma através da escrita, das mensagens e das letras de músicas. Isso é muito bom pra nós, que somos privilegiados com sua amizade.

    Adorei te conhecer e mais uma vez digo: me identifiquei com você hahaha ...

    Um abraço, fique com Deus.
    John Kleber Fonseca.

    P.S.: Eu também gostaria de aprender a tocar violino, demais!! Já ouviu The Corrs ?:]

    ResponderExcluir
  5. Olá Angelo olha eu aqui mais uma vez rs, retribuindo a sua visita! Aquele blog eu divido com a minha prima por isso que tem varias postagens no mesmo mes rs, a principio eu tinha criado ele pra ficar só pra mim mesmo e conter meus desabafos e angustias mais ai o sol chegou na minha vida e tudo mudou então hoje falo de tudo um pouco né! Poxa cada vez que leio um texto diferente seu me impressiono mais, você tem muito conteúdo e tenho certeza que deve ser uma pessoa maravilhosa!
    Um abraço e tenha um otimo dia... já te sigo tem twitter ?

    ResponderExcluir
  6. \O QUE LINDO!! milhares de elogios...

    ResponderExcluir
  7. Maninho nossa eu adorei esse texto em particular porque fala de mim é claro, mas saiba que eu sei sim o quanto sou importante pra vc, como vc é pra mim, e acredito que a nossa mãe tbm pois sentimos muito a sua ausência não proposital.
    Te amo muito, obrigada por se lembrar dessa garotinha que sente falta do porto seguro das tuas palavras, embora as vezes rudes, mas que são apenas palavras de irmão super protetor!!!!
    Bjão e um forte abraço...

    ResponderExcluir